segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Porque estudar Arquitetura

Você pode ler mais a respeito em PORQUE ESTUDAR ARQUITETURA pt.2

d818_arq084-01-08
Algumas pessoas me perguntam como foi que escolhi Arquitetura, qual a diferença entre engenharia ou quais devem ser as qualidades desse estudante. Perguntam se é puxado, se vale a pena, se o mercado está necessitando… Para essas perguntinhas pertinentes e que fazem a gente cansar de responder, resolvi fazer este post.

Antes de eu começar a estudar Arquitetura, vivia pesquisando na internet sobre coisas que me interessavam. Na realidade nunca havia admitido que queria fazer Arquitetura. Eu havia feito o técnico em Edificações e não tinha gostado… era muita matemática, uma coisa de outro mundo e que não me agradava. Imaginava que Arquitetura seria a mesma coisa maçante e chata.
Quase nada me agrada e eu nunca consigo gostar de algo específico. Quando me perguntavam qual a matéria que eu mais gostava no colegial eu nunca sabia responder… todas me atraiam e traiam!

Notando que eu não conseguia me apaixonar por nada em específico, fui pesquisar graduações amplas, que englobavam várias matérias diferentes e que, de alguma forma, nunca me faria enjoar. Achei a Arquitetura.

Pelo fato de não ter gostado do técnico em Edificações, como já mencionei, eu iniciei, contra gosto, a graduação em Arquitetura.
Nos dois primeiros meses, confesso, tive muita vontade de largar. Eu não conseguia gostar, era tudo abstrato de mais para mim, novo de mais, puxado de mais. Mas foi no 2°bimestre, com o primeiro projeto, que eu me convenci que não poderia ter escolhido curso melhor.

A graduação engloba quase todas as matérias que temos no colegial: história, geografia, geopolítica, sociologia, arte, matemática, física e botânica (no paisagismo). Para mim que não sabia nem gostar nem odiar as matérias foi um prato cheio.
foster
O curso é puxado e isso, acredito eu, seja pelo fato dele ter essa grade tão flexível. Para ser aluno e futuro bom profissional é preciso ser muito curioso; ter muito jogo de cintura; ter noção espacial; senso crítico (tem que ser chato mesmo); ter espírito altruísta (não adianta ser Arquiteto e pouco se importar com os problemas sociais); ser mente aberta, estar aberto às novidades; tem que ser sociável e como já dizia Sir.Nikolaus Pevsner “Um Arquiteto não pode existir em oposição à sociedade”.

Quem não sabe desenhar, só sabe fazer aqueles homenzinhos palito, não chore: noções de desenho são ensinadas no curso. O importante é ter ideias! Ser extra criativo e nunca se prender numa só forma como a do pseudo-modernismo atual, por exemplo, em que, com medo de errar o Arquiteto esquece de imprimir a identidade na obra e sai sempre aquela caixa branca que ele tem a coragem de chamar de casa… E a matemática… ah, a matemática… ela, apesar de ser ensinada no curso (assim como as noções básicas de desenho) vai te fazer chorar muito. Essa é a mais pura verdade… ossos do ofício, fazer o que?

O que você tem a ganhar estudando Arquitetura? Bem, aparentemente um bico-de-papagaio, dores no ombro e dentes amarelados de tanto tomar café. Aparentemente, eu disse.

As coisas, e isso vale para qualquer curso, quando feitas com amor e com vontade deixam de ser custosas. O que você vai receber em troca por estar fazendo Arquitetura é muito particular. A felicidade boba de ver seu rabisco projetado no AutoCad e exposto na feira de profissões, todo o conhecimento que você adquire e quando você faz uso dele em um projeto…Seus pensamentos tomando forma, as soluções que você imagina para a sociedade…essas coisas são singulares. Não me venha perguntar de mercado de trabalho! Quem esperava a crise de 69 e a crise que acabamos de deixar? O mundo muda muito rápido, olhar para o mercado para escolher o curso é algo totalmente mesquinho e pequeno. Além do mais, olhar para o mercado para escolher o curso é algo completamente errado: se fazer o que a gente gosta já é difícil, imagina fazer aquilo que não gostamos?!
Serra_Dourada_croquis_(pan)
Talvez a pergunta mais recorrente quanto à Arquitetura é qual a diferença com o curso de Engenharia ou qual a semelhança entre Design de Interiores.

Para ser direta: um bom Designer de Interiores estudou primeiro Arquitetura, depois de especializou. Partindo do princípio que o Designer de Interiores é diferente de Decorador: o Designer pode intervir no projeto e tem como principal objetivo atender as necessidades dos seus clientes com um jogo de luz, cores, buscando a melhor ventilação, o melhor layout, o maior conforto dentro da funcionalidade do ambiente. O Decorador fez um curso rápido e geralmente só é habilitado a escolher objetos para compor o ambiente, a etapa final do projeto de interiores.

A diferença entre Arquitetura e Engenharia já é um pouco mais complexa. Quem opta por um curso ou pelo outro, fique claro: opta por cursos diferentes! A Engenharia tem como principal objetivo a execução do projeto. O profissional dessa área participa dos cálculos estruturais, onde é o melhor lugar para se por uma viga, se o segundo piso não vai cair, qual a quantia de ferro e concreto para fazer a cúpula, qual o grau da inclinação… E participa ativamente de grandes obras: edifícios, pontes e outras construções é ele quem deve tomar conta e se responsabilizar por grande parte dos problemas.

Na Arquitetura, além do profissional estar envolvido com o projeto em si, ele se preocupa com os mínimos detalhes e com todo o impacto social da obra.

Tomemos como exemplo a execução de um shopping center. O Arquiteto faz todo um estudo sobre qual a melhor posição das janelas e qual a melhor disposição dos stands. Se preocupa com a acessibilidade, refrigeração, insolação, integração e, é claro, com a estética. O Engenheiro participa do projeto fazendo os cálculos estruturais (o Arquiteto é habilitado a fazer os cálculos, mas a grande maioria contrata Engenheiros para tal), qual a melhor sustentação para os pisos, a quantia de concreto, qual o melhor material… e, além dessa participação importante, ele é quem vai comandar a obra. O Arquiteto, diferente do Engenheiro, sai um pouco do projeto: ele amplia a visão para o entorno da obra, no caso, o shopping. Esse shopping terá qual público alvo? Pessoas da classe A, B, C? Onde esse shopping é localizado, eu faço um estacionamento de mil vagas ou ele é perto do metrô e isso induz as pessoas irem à pé? Esses detalhes são pensados pelo profissional de Arquitetura. Um bom Arquiteto jamais faria um shopping center luxuoso no meio de um bairro desfavorecido ou vice-versa. Essa preocupação com o espaço social é que engrandece ainda mais os profissionais de Arquitetura. Sem contar o plano sustentável que já virou rotina em todo projeto.

Espero que este post tenha esclarecido algumas dúvidas! Lembrando que a melhor forma de escolher qual curso fazer é descobrir do que você realmente gosta e o que quer fazer grande parte da sua vida. Conversar ou até mesmo visitar profissionais já credenciados também é uma ótima forma de tirar essa dúvida tão cruel!
Renzo.piano
Croquis em ordem de aparição: Oscar Niemeyer, Norman Foster, Paulo Mendes da Rocha e Renzo Piano.

11 comentários:

Adh2bs disse...

Resolvi fazer arquitetura porque achava a palavra bonita. Pode parecer piada mas é sério... Às vésperas do vestibular é que fui me inteirar mais sobre o assunto, além de meus pais terem feito dois projetos de casas, um na minha infância e outro na adolescência que certamente deixaram suas sementinhas no garoto de então. Mas me apaixonei pela profissão quando começaram as aulas, com a vantagem que eu já gostava de matemática, tinha/tenho certa facilidade com essa matéria.
Mão a obra então, se puder dar outro conselho, é muito importante que o arquiteto acompanhe as obras, ainda que como observador. Quanto mais experiência em obra e amigos engenheiros, melhor vão ficando os projetos. Palavra de arquiteto.
Abç,
Adh2bs

Philipe disse...

Ótimas dicas, diariamente venho lendo sobre Arquitetura pois estou decidido a iniciar o curso no meio do ano após largar 2 outros cursos. Me identifiquei com algumas frases do texto rs.

Renata Assunção disse...

Esse foi o melhor texto sobre o curso que eu li!! Venho pensando em fazer arquitetura, pois trabalho com decoração (sou artesã) e sinceramente o texto só me fez confirmar a minha decisão!

rosa disse...

Fiquei realmente muito feliz ao encontrar esse post! Sempre pensei seriamente em cursar arquitetura, já pesquisei bastante a respeito, me identifiquei em várias situações que você citou, e seu excelente texto me ajudou a tomar a decisão final. Obrigada por compartilhar seu conhecimento, foi o artigo mais esclarecedor que já li. Abraços! :)

Édypo Dias disse...

Bom estava eu estudando para provas do curso de administração que iniciei por trabalhar na área mas sempre fui apaixonado por arquitetura. E buscando respostas para minhas "perguntinhas" encontrei este texto, maravilhoso por sinal, e claro já fiz a inscrição para o vest. de arquitetura e urbanismo. Obrigado.

Luh Mendes disse...

Sempre sonhei com arquitetura, mas estou com dúvida porque não tenho habilidades com desenho e aí será que arquitetura é mesmo para mim?

Salto Alto e Feminices disse...

Foi a melhor explicação que já vi sobre o curso e sobre a profissão. Estou pensando em fazer o curso no início do ano que vem, e foi muito útil o seu texto.

vinicius designer disse...

Muito bom o texto tbm estou querendo fazer este curso, sou designer grafico acredito que ja conheca algumas ferramentas. Gosto da ideia de criar solucoes esteticamente agradaveis.

Tainá Muniz disse...

Por incrível que pareça eu me identifiquem muito com tudo que você disse. Desde meus 10 anos falava para os meus pais que queria ser arquiteta. Por um breve tempo coloquei essa ideia como segunda opção de curso, mas algumas coisas aconteceram e como eu já tinha a vontade de estudar tal curso, resolvi que seria isso mesmo. Agora estou com 17 anos e prestes a cursar arquitetura. Da mesma maneira como você, nunca me identifiquei de fato com uma única matéria na escola. Sei que gosto de humanas e sinto prazer em estudar história, literatura. Quanto a matemática, quando me esforço pra isso eu realmente sou boa. Mas, não adoro nem deixo de gostar da matéria. Sei somente que ela será necessária na minha vida. Assim como você também sempre me incomodo com a comparação entre engenharia e arquitetura. Uma vez minha mãe chegou a me dizer: "Se você quer fazer arquitetura, por que não faz engenharia logo?" Eu simplesmente me irritava com isso. Sou nova mas desde já eu não penso no dinheiro como a prioridade da maneira como as outras pessoas. Tudo bem, dinheiro é bom e quero ganhar bastante (nunca é demais, rs), mas eu penso que fazer o que gostamos nos torna ricos em alegria, em sucesso, e até mesmo financeiramente e de uma maneira diferente de quem faz alguma coisa por obrigação. Eu amo arte, amo desenhar,sou preocupada com os problemas sociais ao meu redor e assim como você também me chamo Tainá. Lendo seu texto eu fiquei contente por saber que estou indo pelo caminho certo. Obrigada, bjs.

dennys leal disse...

Show!!!

priscila helena disse...

Show de bola, o texto é excelente, super me identifiquei. Nunca consegui me achar no curso, e lendo sobre Arquitetura me apaixonei, e o texto só afirma isso. Em Agosto começo a estudar, estou super ansiosa. Espero que atenda minhas expectativas.